"; PlayWin.document.write(winContent); PlayWin.document.close(); // "Finalizes" new window // UniqueID = UniqueID + 1 // newWinOffset = newWinOffset + 20 // subsequent pop-ups will be this many pixels lower }

sexta-feira, abril 30, 2010

Caros leitores

Alterações ao blogger e o ferrao.org.

blog

A partir de amanhã, 1º de Maio de 2010, este blog estará congelado, pelo menos até se encontrar uma alternativa. A utilização do software do blogger deixará de estar disponível para computadores alheios à google. A todos os que nos honraram com as suas visitas, o nosso muito obrigado.

Etiquetas: ,

segunda-feira, abril 19, 2010

Deus

É uma perda de tempo afirmar que deus não existe. É como dizer que não existe fidelidade, só infidelidade. Deus existe porque foi criado pelo Homem.
Deus, este produto, fruto da criatividade e da ambição humana de tudo controlar através do conhecimento foi propagado ao longo dos tempos através da educação- em algumas famílias por convicção e noutras por uma questão prática de integração ou socialização (fazendo prevalecer a cultura dominante).
Outra coisa que também foi inventada pelo homem: Os países.
Como negar que existem?
Estão nas mentes das pessoas!
Talvez o problema não resida aqui, mas sim noutro lado:

Verbo
e.xis.tir, instransitivo
ter existência, ser real

e.xis.tên.ci.a português europeu feminino
facto de existir, de viver:

Adjetivo
re.al, comum de dois gêneros
que de facto existe, isto é, não é imaginário

A questão é que o verbo existir tem duplo sentido. Por um lado refere-se à realidade mas por outro, frases como "uma existência faustosa" conferem-lhe uma concessão ao domínio da abstracção.
Aqui está: Concreto Vs Abstracto

Em debates desta natureza seria necessário precisar primeiro com que sentido o verbo existir está a ser usado por cada elemento para que os conceitos ou ideias pudessem atingir a mente dos respectivos interlocutores.

É caso para dizer:
Sem esta concretização, não há abstracção.

Sugiro duas combinações possíveis:
1. Deus existe e os países não (forma abstracta)
2. Deus não existe mas os países sim (forma concreta)

De facto não é preciso dizer que deus não existe. Basta mostrar que a frase "deus existe" está errada porque perverte a definição do verbo existir.
Doravante não mais interpretarei a frase "Deus não existe" como uma negação de "Deus existe" mas sim como uma simples AFIRMAÇÃO.


hits: